13° salário deve injetar R$ 39,8 milhões na economia da região

Corumbá (MS)- Até meados de dezembro, a economia local deverá receber um aporte de R$ 39.887.053,32 milhões, em decorrência do pagamento do 13º salário. Cerca de 16.911 empregados deverão receber o rendimento adicional de final de ano só em Corumbá. O cálculo do estudo, realizado pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Industria e […]

Comentar
Compartilhar
01 nov 2016 Por Erik Silva 10h09
Abono deve aquecer vendas no comércio local (Foto: Renê Marcio Carneiro)

Abono deve aquecer vendas no comércio local (Foto: Renê Marcio Carneiro)

Corumbá (MS)- Até meados de dezembro, a economia local deverá receber um aporte de R$ 39.887.053,32 milhões, em decorrência do pagamento do 13º salário. Cerca de 16.911 empregados deverão receber o rendimento adicional de final de ano só em Corumbá.

O cálculo do estudo, realizado pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Industria e Comércio, leva em conta dados divulgados pela Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) e Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), ambos do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

“No caso da RAIS, consideramos o estoque de todos os assalariados com carteira assinada, empregados no mercado formal, nos setores público (estatutários ou celetistas) e privado, que trabalhavam em dezembro de 2015, acrescido do saldo do CAGED de 2016 (até setembro, último dado disponível)”, explicou o economista Raul Assef Castelão.

Quanto aos valores das remunerações, foi utilizada a média aritmética simples, informada pela RAIS no ano base de 2015, atualizado pela variação do INPC, no período janeiro-setembro de 2016. No levantamento dos dados, não estão incluídos autônomos, pensionistas do INSS, assalariados sem carteira assinada ou trabalhadores com outras formas de inserção no mercado de trabalho que, eventualmente, recebam algum tipo de abono de fim de ano, por serem de difícil mensuração.

“No entanto, convém ressaltar que esses valores também deverão contribuir com o fomento local”, reforçou o economista responsável pelo estudo. Não foram distinguidos os casos das categorias que receberam antecipadamente o 13º ou parte dele, por definição, por exemplo, de Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) ou Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).

Assim, os dados apresentados constituem apenas uma projeção do volume total de 13º salário que será injetado na economia corumbaense, nos dois últimos meses de 2016.

Em 2016, a estimativa é de redução de -1,6% no valor total se comparado a 2015. Com hipótese para explicar essa redução é o número menor de estoque de empregados ativos entre 2014/2015. Em 2014, Corumbá tinha um estoque de 17.306 postos de trabalho e, em 2015, o estoque foi de 16.894, uma queda de 412 postos formais. Ou seja, o número de pessoas trabalhando formalmente em 2015 foi menor do que em 2014.

Ladário

Em Ladário, estima-se que haja uma movimentação de R$ 8.622.986,82 milhões, em função do pagamento do 13º salário. Isto, considerando a disponibilidade de dados apenas da RAIS, excluindo o setor de Extrativa Mineral e Serv. de Ind. Pub., dos quais não há registro de dados para o Município. Na cidade vizinha, a variação entre 2015 e 2016 é de -5,33%, resultado influenciado pelo estoque menor de trabalhadores em 2015 se comparado com 2014.

Impacto na região

A estimativa é de que os dois Municípios juntos deverão injetar R$ 48.510.040,13 milhões, em novembro e dezembro deste ano, na economia regional, recurso este oriundo do mercado formal. Este valor representa uma redução de -1,93% aproximadamente entre 2015 e 2016. No Estado, o DIEESE estima que o valor seja de 2,3 bilhões em função do 13º salário e a nível nacional será de R$ 196 bilhões.

https://www.youtube.com/embed/0XKWEpfeHF0

Colunas

Contraponto