Sem manutenção, alunos dividem salas de aula com morcegos na zona rural de Corumbá

alunos ainda estariam dividindo salas de aula com estudantes de séries diferentes

Comentar
Compartilhar
09 nov 2016 Por Erik Silva 16h07
De acordo com pais dos alunos, morcegos teriam derrubado o forro da sala de aula que ficou coberta de fezes dos animais / Foto enviada por WhatsApp

De acordo com pais dos alunos, morcegos teriam derrubado o forro da sala de aula que ficou coberta de fezes dos animais / Foto enviada por WhatsApp

Corumbá (MS)- Distante cerca de 130 quilômetros do Centro de Corumbá, pais de alunos das escolas Eutrópia Gomes e Extensão Paraguai Mirim, que integram a Rede Municipal de Ensino (REME), denunciam a precariedade das unidades e as condições insalubres que os alunos enfrentam diariamente para estudar. Ao contrário do que ocorre na área urbana da cidade, nada de salas com ar-condicionado, quadros brancos, carteiras reformadas ou áreas de recreação, nessas escolas que ficam em pleno Pantanal de Corumbá, os alunos precisam suportar mal cheiro, falta de salas disciplinares e percalços impostos pela ausência de conservação e manutenção das instituições de ensino.

Fossa aberta preocupa pais de alunos da escola Eutrópia Gomes

Fossa aberta preocupa pais de alunos da escola Eutrópia Gomes

Na escola de ensino integral Eutrópia Gomes, onde cerca de 160 alunos estão matriculados, os pais dos alunos afirmam que uma fossa se abriu em uma área de unidade colocando em risco a segurança das crianças, o local não recebeu ainda nenhuma sinalização. Outra reclamação recorrente dos alunos se deve ao fato do constante surgimento de animais peçonhentos que adentram o espaço devido à falta de limpeza e roçada do entorno do colégio.

A prefeitura de Corumbá informou que a fossa na escola Eutrópia Gomes está desativada e que a tampa cedeu por conta do terreno instável, mas que o local está isolado das crianças. Sobre o mato alto, a prefeitura afirmou que a limpeza deve ser feita nessa quarta, como estava no cronograma.

A situação na escola Paraguai Mirim, distante cerca de 130 quilômetros de Corumbá é ainda pior. Lá, os 48 alunos matriculados em séries variadas dividem as mesmas salas de aula devido à ausência de locais apropriados. O que já era ruim ficou ainda pior, quando o forro de uma das salas teria sido derrubado por morcegos que ainda trazem ao local um cheiro insuportável por conta das fezes dos animais, até mesmo o quadro negro utilizado na sala de aula está coberto de detritos.

Fezes dos morcegos deixam espaço com cheiro insuportável

Fezes dos morcegos deixam espaço com cheiro insuportável

Ainda na escola, o local que deveria ser destinado a brinquedoteca, precisou ser coberto com uma lona plástica na tentativa de evitar o contato dos alunos com as fezes dos morcegos.

Fiação elétrica também é encontrada exposta dentro das salas de aula

Fiação elétrica também é encontrada exposta dentro das salas de aula

Apesar das imagens, novamente a prefeitura voltou a afirmar que o local nunca ficou sem reparos e na unidade não existe nenhuma sala interditada, mas que o forro na verdade teria sido retirado para ser substituído por laje. No entanto, o prazo para que a reforma seja concluída não foi informado.

Já em relação a brinquedoteca que está sendo utilizada como sala, a prefeitura comunicou que se trata de uma sala multiuso e que a mesma é destinada para atender todos os estudantes. (Com informações G1)

https://www.youtube.com/embed/0XKWEpfeHF0

Leia Também

Colunas

Contraponto