Em menos de 12 horas, três são executados em meio a guerra de facções pelo comando do tráfico

Onda de homicídios tem amedrontado famílias na região de fronteira

Comentar
Compartilhar
17 nov 2016 Por Correio do Estado 10h27

Em menos de 12 horas, três pessoas foram mortas a tiros em meio a guerra que se instaurou pela disputa do tráfico de drogas por facções criminosas na região de fronteira do Brasil com Paraguai. Dois homens foram mortos ontem, enquanto uma mulher foi assassinada hoje de manhã. Os crimes aconteceram na linha que divide a cidade paraguaia de Capitan Bado com o município brasileiro de Coronel Sapucaia.

hom2-169x300

Foto: Porã News

hom3-169x300

Foto: Porã News

De acordo com o Porã News, o agrônomo Hugo Saul Rodriguez Martinez, 28 anos, e Aníbal Acosta Roas, 23 anos, estavam em uma pastelaria, por volta das 21h de ontem, quando foram surpreendidos por dois pistoleiros que estavam em motocicleta. Eles efetuaram vários disparos de pistola calibre .9 milímetros contra as vítimas.

Hugo e Aníbal chegaram a ser socorridos e encaminhados para unidade de saúde, mas não resistiram aos ferimentos.

Já os pistoleiros fugiram para Mato Grosso do Sul e ainda não foram encontrados. Agentes da Polícia Nacional de Amambay pediram apoio da polícia brasileira para auxiliar na elucidação do duplo assassinato.

mu1-660x330

Foto: Porã News

Outro homicídio aconteceu por volta das 7h de hoje, quando Margarita Beatriz Villalba foi executada a tiros por integrantes do crime organizado. Ela estava próxima a linha de divisa, na fronteira, quando foi abordada por dupla que estava em moto e efetuou disparos com pistola calibre .9 milímetros.

A suspeita é de que as mortes na região de fronteira se devem por conta da disputa pelo controle do tráfico de drogas pelas facções criminosas Primeiro Comando da Capital e Comando Vermelho. A onda de homicídios em meio a guerra instaurada na área conhecida como grande produtora de maconha tem amedrontado as famílias.

Colunas

Contraponto