Festival: Reinaldo destaca participação da cultura regional e comunidades indígenas

O governador Reinaldo Azambuja destacou, durante a solenidade de lançamento do 13º Festival América do Sul Pantanal (FASP), a ampliação do espaço na programação de shows e apresentações aos artistas regionais e comunidades indígenas. “O Festival América do Sul consagra a união e a alegria dos povos sul-americanos. Mesmo com as dificuldades que encontramos, ele […]

Comentar
Compartilhar
24 out 2016 Por Erik Silva 11h51
fasp

Conforme a programação, serão mais de 15 horas diárias de atrações das mais variadas manifestações culturais / Foto: Edmir Rodrigues

O governador Reinaldo Azambuja destacou, durante a solenidade de lançamento do 13º Festival América do Sul Pantanal (FASP), a ampliação do espaço na programação de shows e apresentações aos artistas regionais e comunidades indígenas.

“O Festival América do Sul consagra a união e a alegria dos povos sul-americanos. Mesmo com as dificuldades que encontramos, ele continua ocorrendo. Hoje não temos mais a presença de grandes patrocinadores, mas em contrapartida o engajamento dos artistas locais, regionais e comunidades indígenas construiu uma nova roupagem. Confesso que fiquei bastante impressionado no ano passado ao ver unido o espírito corumbaense, ladarense, paraguaio, boliviano, enfim, mostrando que vale a pena manter as festivais como forma de fortalecimento da cultura. Isso para nós é muito importante. Não tenho dúvida que a edição desse ano será um grande sucesso”, declarou Reinaldo.

Conforme a programação, serão mais de 15 horas diárias de atrações das mais variadas manifestações culturais. O secretário de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação, Renato Roscoe, ressaltou que o FASP terá uma programação gratuita para todas as idades, oportunizando o acesso democrático à cultura. “O FASP estará em praças e ruas de bairros das cidades brasileiras de Corumbá e Ladário e das bolivianas Puerto Quijarro e Puerto Suárez, rompendo fronteiras, promovendo o intercâmbio cultural e proporcionando cultura a todas as classes sociais”, afirmou Roscoe.

A diretora-presidente da Fundação Estadual de Cultura (FCMS), Andréa Freire, destaca que o festival é um evento de congraçamento dos povos sul-americanos, reverenciando a pluralidade cultural que permeia nossas fronteiras e constrói identidades seculares, que ao longo do tempo se reinventam.

Envolvendo cerca 500 pessoas entre artistas, artesãos, produtores, agentes e técnicos culturais de diversos estados do Brasil e de mais seis países – Paraguai, Bolívia, Uruguai, Chile, Peru e Argentina – o FASP contabiliza mais de 60 atrações. Serão shows musicais, espetáculos de dança, teatro, circo, mostras de artes visuais, artesanato, audiovisual, saberes indígenas, palestras, mesas-redondas, lançamentos de livros, oficinas, fomento à economia criativa, formação e capacitação cultural, arte educação, cultura popular, ciência e tecnologia, inovação, esportes e turismo.

Confira mais informações por meio do site oficial do Festivalwww.festivalamericadosulpantanal.com ou clicando aqui.

https://www.youtube.com/embed/C2slyyXpoVI

Colunas

Contraponto