Forças Armadas encerram operação “Fronteira Sul” e Navios retornam ao comando em Ladário

Na manhã desta sexta-feira (21 de outubro), a Operação “Fronteira Sul” foi encerrada com a chegada dos navios da Marinha do Brasil ao Complexo Naval de Ladário. No decorrer dos últimos 17 dias foram realizadas, simultaneamente, diversas atividades operativas executadas pela Marinha, na região do Pantanal Sul-Mato-Grossense, com o objetivo de incrementar e aperfeiçoar o […]

Comentar
Compartilhar
21 out 2016 Por Redação 11h23
Navios participaram de operações durante 17 dias / Foto: Divulgação

Navios participaram de operações durante 17 dias / Foto: Divulgação

Na manhã desta sexta-feira (21 de outubro), a Operação “Fronteira Sul” foi encerrada com a chegada dos navios da Marinha do Brasil ao Complexo Naval de Ladário. No decorrer dos últimos 17 dias foram realizadas, simultaneamente, diversas atividades operativas executadas pela Marinha, na região do Pantanal Sul-Mato-Grossense, com o objetivo de incrementar e aperfeiçoar o nível de adestramento das Organizações Militares da Força Naval.

Durante toda a navegação no Rio Paraguai, entre as cidades de Ladário, Corumbá e Porto Murtinho, foram executados adestramentos em Operação Ribeirinha; Trânsito com Oposição de Superfície e Aérea; Defesa contra Ameaças Assimétricas; Operações de Patrulha Naval; Ações de Inspeção Naval e de Assistência Hospitalar; Levantamento Hidrográfico; e Apoio Logístico Móvel. Além disso, os navios realizaram os seguintes exercícios inopinados: Transferência de Combustível, Reboque e Evacuação Médica para o Navio Hospital “Tenente Maximiano”, combate a incêndio e alagamentos, resgate de Comando do 6º Distrito Naval homem ao mar, dentre outras atividades visando aprimorar a capacidade de reação dos militares frente a situações adversas. Na região de Forte Coimbra aconteceu o exercício de Tiro real de superfície. Em Porto Conceição, 40 km ao sul de Porto Murtinho, houve a retomada simulada de uma região (Operação Ribeirinha). Fuzileiros Navais durante Operação Ribeirinha

A Capitania Fluvial do Pantanal e suas organizações subordinadas inspecionaram 330 embarcações, das quais 37 foram notificadas, nas regiões de Porto Morrinho, Porto da Manga, Albuquerque, Porto Esperança, Rio Miranda, Salobra, Porto Murtinho, Volta Flores, Barranco Branco e Foz do Rio Nabileque até a Foz do Rio Apa. Responsável pelas ações de Assistência Hospitalar, o Navio “Tenente Maximiano” realizou 425 atendimentos médicos e 161 consultas odontológicas. Mais de 30 mil medicamentos foram distribuídos. A equipe de saúde do Navio também realizou visitas ao “Lar do Idoso São Vicente de Paula” e ao “Casa Lar para Crianças” do Município. Quanto à segurança da navegação, além do envolvimento da Capitania Fluvial do Pantanal, o Aviso Hidrográfico Fluvial “Caravelas” realizou atualização hidrográfica em 40 km na calha do Rio Paraguai, empregando equipamento de tecnologia de ponta.

A população murtinhense e turistas tiveram a oportunidade de visitar e conhecer os navios envolvidos na Operação. A Banda de Música do Comando do 6° Distrito Naval trouxe alegria a adultos e crianças com apresentações no Teatro de Arena “Astério da Conceição”, e também no “Lar do Idoso São Vicente de Paula”, na “Casa Lar para Crianças”. Além disso, realizou Workshop/Oficina com alunos da Banda de Música da Prefeitura de Porto Murtinho. Banda de Música durante atividade de Assistência Hospitalar A Operação que contou com a participação de dez navios, quatro aeronaves, lanchas, viaturas e cinco embarcações do Exército, envolvendo cerca de dois mil militares da Marinha do Brasil e do Exército Brasileiro, contribuindo de maneira expressiva para consolidar a sinergia e interoperabilidade entre as Forças, elevando capacidade de proteger as nossas riquezas e garantir os interesses da “Nossa Gente”

https://www.youtube.com/embed/0XKWEpfeHF0

Colunas

Contraponto