Governo renova contrato e SIGO volta a funcionar em 24 horas

Governo estabelece condições para que órgãos de segurança não fiquem reféns de prestadora de serviços de integração de informações Campo Grande (MS) – O Governo de Mato Grosso do Sul, por meio da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Secretaria de Estado de Fazenda (SEFAZ) e o Detran, assinou na tarde desta […]

Comentar
Compartilhar
23 set 2016 Por Erik Silva 10h04

Governo estabelece condições para que órgãos de segurança não fiquem reféns de prestadora de serviços de integração de informações

sigoCampo Grande (MS) – O Governo de Mato Grosso do Sul, por meio da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Secretaria de Estado de Fazenda (SEFAZ) e o Detran, assinou na tarde desta quinta-feira (22) novo contrato de prestação de serviços com a empresa CompNet Tecnologia Ltda, referente à prestação de serviços especializados para suporte, manutenção legal, preventiva, corretiva, evolutiva e treinamento operacional do  Sistema Integrado de Gestão Operacional (SIGO).

De acordo com o secretário de Justiça e Segurança Pública, José Carlos Barbosa, a partir desta assinatura o serviço deverá ser restabelecido em 24h e com algumas mudanças. “Em breve, servidores da Coordenadoria Geral de Perícias também terão acesso ao sistema, que já integra as policiais Civil e Militar, além do Corpo de Bombeiros. Outra mudança é que o Poder Judiciário também poderá ter acesso ao SIGO. Isso gera economia e também facilita o trabalho do magistrado, que passará a ter acesso aos laudos periciais”, explicou o secretário.

Segundo Barbosa, o sistema terá um custo mensal de R$ 760 mil. Esse valor será compartilhado entre a Sejusp, que pagará R$ 350 mil; Sefaz, R$ 218 mil, e o Detran R$ 191 mil. “A revisão do contrato com a empresa que administra o SIGO vai gerar economia para a Secretaria de Justiça e Segurança Pública, que vai investir o montante economizado em melhorias na infraestrutura, aquisição de equipamentos, munições, equipamentos e treinamentos dos nossos policiais. Cada centavo economizado é revertido em investimentos para a nossa própria estrutura. Essa é uma das razões pela qual o contrato só fosse assinado agora, fazendo com que o prestador de serviço que, além de acatar os requisitos técnicos, também atendesse os interesses financeiros da pasta”, pontuou o secretário.

José Carlos Barbosa disse que que todas as instituições ligadas à Sejusp e o setor de Tecnologia da Informação, já estão trabalhando no sentido de elaborar novas alternativas para que o Estado não fique refém de um sistema. “O Estado já está trabalhando  para ter uma medida alternativa, que está em estado avançado”, ressaltou o secretário.

Já em relação aos equipamentos para solução de Geradores de Ruídos, os chamados bloqueadores de celular, que também estão incluídos neste contrato, eles estão sendo cedidos pela CompNet sem custo, em comodato, e serão devolvidos para a empresa no término do contrato de integração dos órgãos de segurança pública..

https://www.youtube.com/embed/C2slyyXpoVI

Colunas

Contraponto