Idoso não suporta espera de 7 horas por ambulância e morre em Campo Grande

Revoltada, neta expôs descaso em postagem no Facebook. Estudante universitária denunciou descaso da saúde pública em Campo Grande que terminou em mais uma morte, dessa vez de um idoso de 85 anos que esperou 7 horas por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Em publicação no Facebook, a jovem Rosana Moura […]

Comentar
Compartilhar
26 set 2016 Por Correio do Estado 10h19

Revoltada, neta expôs descaso em postagem no Facebook.

23

Libertino e a neta que falou sobre o descaso – Foto: Reprodução/Facebook

Estudante universitária denunciou descaso da saúde pública em Campo Grande que terminou em mais uma morte, dessa vez de um idoso de 85 anos que esperou 7 horas por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Em publicação no Facebook, a jovem Rosana Moura revelou que o avô Libertino Luiz de Moura sofreu um infarto e estava aguardando ambulância para que fosse transferido do Centro Regional de Saúde (CRS) do bairro Aero Rancho para hospital ou Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Enquanto aguardava o transporte, o idoso foi mantido vivo por aparelhos e com uso do ambu, respirador manual que é utilizado para manter a respiração da vítima.

Libertino suportou a espera pela ambulância por 7 horas e acabou falecendo ontem à noite.

A reportagem tentou contato com o coordenador do Samu em Campo Grande por várias vezes, mas nenhuma ligação foi atendida. Pedido de posicionamento sobre a demora no transporte também foi solicitado a Secretaria Municipal de Saúde Pública (Sesau).

Leia Também

Colunas

Contraponto