Mãe tenta socorro para o filho por dois dias e denuncia patroa após morte

Mãe de 30 anos procurou a polícia para registar a morte do filho de 1 ano. O menino morreu na manhã de segunda-feira (31) e a mulher denúncia a patroa por não ter a liberado para buscar socorro. A mãe da criança trabalha em um sítio, na saída para Rochedo, na região de Campo Grande. […]

Comentar
Compartilhar
01 nov 2016 Por Campo Grande News 10h13

políciaMãe de 30 anos procurou a polícia para registar a morte do filho de 1 ano. O menino morreu na manhã de segunda-feira (31) e a mulher denúncia a patroa por não ter a liberado para buscar socorro. A mãe da criança trabalha em um sítio, na saída para Rochedo, na região de Campo Grande.

Conforme boletim de ocorrência, a funcionária contou que o filho estava gripado há mais de uma semana, mas não apresentava febre. No domingo (30), ela percebeu que o bebê apresentava cansaço e respirava com dificuldade.

A mulher, então, pediu para a patroa, que não teve a identidade divulgada, adiantamento do salário porque tinha que levar a criança em uma unidade de saúde. A patroa negou dizendo que não tinha o valor e, segundo registro policial, também não a deixou sair do sítio, pois o caseiro também tinha que sair e a propriedade ficaria sem ninguém.

Na segunda-feira (31), a patroa veio para a cidade, mas não quis trazer a mãe. Desesperada com a situação do filho, a funcionária pediu ajuda para um vizinho, mas o socorro chegou tarde. Durante o trajeto até a unidade de saúde, o menino parou de respirar. Mesmo assim, ele foi levado à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Vila Almeida. Lá, os médicos ainda tentaram reanimar a criança, mas sem sucesso.

O caso foi registrado como morte a esclarecer e deve ser investigada pela Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente). Não há informações sobre o local exato do sítio e se a mulher tentou acionar Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e Corpo de Bombeiros.

https://www.youtube.com/embed/0XKWEpfeHF0

Colunas

Contraponto