Marido procura polícia após mulher ser sequestrada no Aeroporto de Campo Grande

Ela seguiria para a rodoviária. Na manhã desta sexta-feira (14), morador em Chapadão do Sul, cidade a 325 quilômetros da Capital, procurou a polícia após suspeitar que a esposa tenha sido sequestrada no Aeroporto Internacional de Campo Grande. Ela seguia do Amazonas para o município no interior, onde os dois começariam a trabalhar. De acordo […]

Comentar
Compartilhar
14 out 2016 Por Midiamax 10h39

Ela seguiria para a rodoviária.

políciaNa manhã desta sexta-feira (14), morador em Chapadão do Sul, cidade a 325 quilômetros da Capital, procurou a polícia após suspeitar que a esposa tenha sido sequestrada no Aeroporto Internacional de Campo Grande. Ela seguia do Amazonas para o município no interior, onde os dois começariam a trabalhar.

De acordo com o registro policial, o homem convive com a mulher há aproximadamente 8 meses e na quinta-feira (13) ela pegou um voo em Muaitá (AM) e desembarcou em Campo Grande. Ela chegou a ligar para ele, dizendo que estava na Capital e que pegaria um táxi para ir até a rodoviária e seguir para o município no interior.

Segundo o rapaz, cinco minutos após falar com a esposa, ele recebeu outra ligação dela, mas ouviu a voz de um homem dizendo “Estou com a sua mulher aqui e não vamos liberar ela”. Ele afirma que logo após o suspeito desligou o telefone e ele começou a mandar mensagens para a mulher pelo WhatsApp, mas que não era ela quem respondia.

O teor da conversa foi anexado ao boletim de ocorrência na delegacia. Também foram mandadas para o homem fotografias da esposa com as roupas sujas e chorando. Pelo aplicativo de celular, o suspeito chega a pedir dinheiro para o resgate e alega ter usado o cartão da vítima, gastando todo o dinheiro até o limite.

Conforme o marido, o suspeito disse por fim que liberou a mulher na Rua Alcântara Machado, na Vila Santo Amaro, e quebrou o celular dela. Ele chegou a tentar ligar novamente para a esposa, mas o telefone deu desligado. O homem contou aos policiais que está em Chapadão com a mulher há aproximadamente 8 meses e os dois saíram de Amazonas para trabalharem no interior de MS.

O caso será repassado para a Polícia Civil de Campo Grande. De acordo com o registro policial, o marido da vítima estava muito tranquilo durante o registro do BO e afirmou que não tem desentendimento com ninguém. O crime é tratado como extorsão mediante sequestro.

Colunas

Contraponto