Morto pela polícia tinha 22 anos e ex-namorada pede ajuda para velório

Foi identificado como Alexandre de Lima Alves de Souza, 22 anos, o homem morto por um policial militar por volta das 16h de ontem (3), na rua Marquês de Lavradio, região do Tiradentes, em Campo Grande. Armado com revólver 38, o rapaz foi flagrado tentando roubar pessoas que estavam em um ponto de ônibus. O […]

Comentar
Compartilhar
04 out 2016 Por Campo Grande News 9h00
300x225-766236b6c5913bc0c06c6b8afb7ade51

Alexandre posa para foto em momento de lazer.(reprodução/Facebook)

Foi identificado como Alexandre de Lima Alves de Souza, 22 anos, o homem morto por um policial militar por volta das 16h de ontem (3), na rua Marquês de Lavradio, região do Tiradentes, em Campo Grande. Armado com revólver 38, o rapaz foi flagrado tentando roubar pessoas que estavam em um ponto de ônibus.

O corpo de Alexandre está sendo velado em uma das capelas da Pax São João Batista, na Rua São Paulo esquina com a 13 de Maio. O sepultamento está previsto para às 15h no Cemitério Santo Amaro. Sem dinheiro para arcar com o funeral, a presidente da ATMS (Associação das Travestis e Transexuais de Mato Grosso do Sul), Cris Stefanny, ex-namorada do jovem, pediu ajuda para amigos e familiares.

“A família não tem condições de fazer o velório e eu estou aqui pedindo encarecidamente seu apoio, independente do que ele fez porque quem somos nós para julgar nosso semelhante???”, escreveu Cris. O velório ficou em R$ 2 mil. Ela ainda fez vários posts no Facebook falando dele.

Cris postou na rede social que namorou com o rapaz durante 2 anos e há 5 meses havia terminado o relacionamento. “Ele era dependente de maconha, tinha a “mente fraca” e quando se juntava com irmão (que é dependente químico), sempre terminava em coisas erradas”, lamenta.

300x225-7e4054ffd7e69edde8037bfef21fbf5e

Corpo de Alexandre estendido no chão e, ao fundo, a viatura policial na Marquês de Lavradio (Foto: Marcos Ermínio)

Caso – Segundo uma testemunha, que estava acompanhada da filha, o suspeito chegou ao ponto de ônibus, localizado próximo à esquina com a Rua Coronel Ulisses de Lima, e abordou uma das mulheres, a segurando pelos braços e dizendo que era um assalto.

Em seguida, puxou a bolsa da filha da testemunha e saiu correndo, enquanto as vítimas gritavam. O policial militar apareceu em seguida, quando o ladrão já subia em uma motocicleta, onde um comparsa o esperava. Houve disparos e o bandido caiu da garupa da moto. Ele morreu no local.

O PM, que também não será identificado, pertence ao Bope (Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar). Ele disse que ia para a casa de carro quando viu o assaltante tentando roubar a bolsa no ponto de ônibus.

Segundo o PM, ele se identificou como policial e o ladrão correu, momento em que teria sacado uma arma. O policial, então, disparou três vezes.

Conforme a delegada que atendeu a ocorrência, Célia Maria Bezerra da Silva, o homem estava armado com revólver calibre 38 com três munições deflagradas e duas picotadas.

Colunas

Contraponto