Obra de reforma na escadaria da catedral é embargada pelo IPHAN

Corumbá (MS)- AS obras para reforma e restauração da Igreja de Nossa Senhora da Candelária localizada no centro de Corumbá, teve parte dos trabalhos paralisados nesta segunda-feira (17), por determinação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). De acordo com o órgão apenas as obras da escadaria da igreja é que foram embargadas […]

Comentar
Compartilhar
19 out 2016 Por Erik Silva 7h37
Apenas as obras da escadaria da Catedral foram paralisadas / Foto: Renê Márcio Carneiro

Apenas as obras da escadaria da Catedral foram paralisadas / Foto: Renê Márcio Carneiro

Corumbá (MS)- AS obras para reforma e restauração da Igreja de Nossa Senhora da Candelária localizada no centro de Corumbá, teve parte dos trabalhos paralisados nesta segunda-feira (17), por determinação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). De acordo com o órgão apenas as obras da escadaria da igreja é que foram embargadas por não integrarem o projeto inicial de reforma apresentado.

“Na verdade, a obra da paróquia foi paralisada, apenas a parte da escadaria é que não poderá seguir sem antes ser apresentado um projeto e o mesmo ser aprovado pelo IPHAN. Isso porque já existe um projeto aprovado pelo órgão que inclusive faz parte do PAC Cidades Históricas e qualquer alteração ou inclusão de reparos que não tenha sido aprovado, necessita da apresentação de um novo projeto e a avaliação do IPHAN”, disse Edvânia de Jesus Chefe do escritório do IPHAN em Corumbá.

Segundo ela o processo para liberação é simples, e basta que algum representante da paróquia vá até o IPHAN solicitando a autorização que já possui um modelo pré-determinado, com a apresentação do novo projeto e o órgão tem prazo de 45 dias para emitir parecer e autorização.

Apesar de não ser tombada como patrimônio histórico a paróquia faz parte do que é considerada área de entorno e nesses locais, qualquer alteração ou obras de restauração precisam, de acordo com o Artigo 4º da portaria nº 420 de 2010, de avaliação e autorização do órgão responsável “A realização de intervenção em bem tombado, individualmente ou em conjunto, ou na área de entorno do bem, deverão ser precedidas de autorização do Iphan”.

Com a decisão apenas as obras na escadaria de entrada da catedral foram paralisadas, sendo que as obras de restauração do telhado e forro, além das instalações elétricas e demais intervenções continuam normalmente.

Leia Também

Colunas

Contraponto