Polícia Civil conclui que tenente-coronel matou marido major em legítima defesa

Inquérito foi concluído e encaminhado ao Poder Judiciário

Comentar
Compartilhar
01 dez 2016 Por Correio do Estado 9h50
itamara-romero-nogueira-bruno-henrique12

Polícia concluiu que Itamara agiu em legítima defesa – Foto: Bruno Henrique / Arquivo / Correio do Estado

Polícia Civil encerrou o inquérito sobre o homicídio do major da Polícia Militar Valdeni Lopes Nogueira Romeiro, 47 anos, e concluiu que a esposa do militar, a tenente-coronel Itamara Romeiro Nogueira, 40 anos, cometeu o crime em legítima defesa.

De acordo com nota divulgada pelo delegado responsável pelo inquérito, Cláudio Zotto, foram colhidos depoimentos de familiares, amigos, vizinhos, colegas de trabalho da vítima e da esposa, dos técnicos que foram ao local do crime e dos profissionais que socorreram Valdeni.

Com os depoimentos, reprodução simulada do crime e laudos, polícia concluiu que há “indícios de que os fatos se deram como narrados pela tenente coronel PM Itamara Romeiro Nogueira, e assim, da existência de legítima defesa”.

Conforme versão da tenente-coronel, ela teria sido agredida e reagiu, atirando no marido enquanto ele iria buscar sua arma para matá-la.

Inquérito, que contém 323 folhas, já foi encaminhado ao Poder Judiciário.

O CASO

Os fatos ocorreram no dia 12 de julho, na residência do casal, na rua Brasil Central, bairro Santo Antônio.

Casal teria se desentendido sobre uma viagem ao nordeste que fariam no dia seguinte, como forma de fortalecer o casamento, que estava estremecido em razão de constantes brigas. Na ocasião, Valdeni desistiu da viagem, o que motivou a discussão.

Durante a briga, o major a agrediu, ameaçou de morte e, quando saía da casa para buscar a arma que estava no carro, foi morto com tiro disparado pela esposa, que o acertou na barriga.

 

https://www.youtube.com/embed/0XKWEpfeHF0

Colunas

Contraponto