Presidente da Câmara de Corumbá exonera 66 servidores comissionados

De acordo com a assessoria da Câmara, vereadores devem terminar o mandato sem contar com nenhum servidor comissionado. Corumbá (MS)- O Presidente da Câmara Municipal de Corumbá, o vereador José Tadeu Vieira (PDT), determinou através da publicação em Diário Oficial do Município na última sexta-feira (21), a exoneração de mais de 1/3 de todos os […]

Comentar
Compartilhar
26 out 2016 Por Erik Silva 8h10

De acordo com a assessoria da Câmara, vereadores devem terminar o mandato sem contar com nenhum servidor comissionado.

Aumento em número de cargos e suplementação salárial cahamam a atenção na atual adminstração da Câmara de Corumbá / Foto: Erik Silva

Aumento em número de cargos em comissão e suplementação salarial de até 150%  foram destacados pela imprensa nos últimos dois anos  / Foto: Erik Silva

Corumbá (MS)- O Presidente da Câmara Municipal de Corumbá, o vereador José Tadeu Vieira (PDT), determinou através da publicação em Diário Oficial do Município na última sexta-feira (21), a exoneração de mais de 1/3 de todos os servidores comissionados que atuam na casa de leis Barão de Vila Maria. Praticando uma política financeira que vai na contramão das demais autarquias públicas no período em que se instalou uma grave crise financeira no país, a atual gestão da Câmara Municipal de Corumbá promoveu no inicio de 2015 a criação de cargos comissionados, aumento de salários e chegou a aprovar um projeto de lei complementar que autorizou o comando da casa legislativa a suplementar benefícios de até 150% sobre o salário base de seletos servidores.

No entanto, o pacote de “bondades” parece ter chegado ao fim com a proximidade do encerramento do mandato parlamentar vigente. A exoneração em massa promovida pelo chefe do legislativo corumbaense chama a atenção apesar de já ter sido confirmada em plenário na oportunidade em que um dos parlamentares questionou o presidente da casa sobre a possibilidade “ventilada” nos bastidores.

Mais curiosa foi a justificativa apresentada para o ato. De acordo com a assessoria de comunicação da casa “todos os servidores comissionados serão dispensados até o final do ano, porque os vereadores precisam encerrar o mandato sem assessores”, informou.

Ainda conforme a justificativa, a atitude seria uma “Praxe”, ou seja, um costume, um hábito e porque não dizer uma tradição dentro do poder legislativo durante os encerramentos dos trabalhos a cada quatro anos. Ocorre que analisando os últimos encerramentos antes da atual legislatura, a tal “prática rotineira”, não ocorreu.

O fato tem causado indignação entre alguns parlamentares que alegam nos bastidores da Câmara, que a atual presidência não teria tido desenvoltura ao lidar com as receitas da casa proveniente do duodécimo realizado pela Prefeitura, e que hoje repassa ao poder legislativo uma média de R$1,3 milhão de reais por mês.

Ainda conforme a assessoria da Câmara, as exonerações estariam sendo feitas com três meses de antecedência para que “as rescisões não sejam feitas todas em apenas um mês, sobrecarregando a folha”, concluiu. O fato é que até o dia 01 de Dezembro todos os servidores comissionados estarão dispensados.

Lista com os nomes dos servidores exonerados foi publicada na edição Diário Oficial da última sexta-feira (21)

Lista com os nomes dos servidores exonerados foi publicada na edição Diário Oficial da última sexta-feira (21)

https://www.youtube.com/embed/0XKWEpfeHF0

Colunas

Contraponto