Preso não cumpre missão do PCC e é achado morto

Leandro estava morto em cela da Máxima, em Campo Grande

Comentar
Compartilhar
22 nov 2016 Por Correio do Estado 11h04
maxima2

Morte aconteceu em cela do presídio de Segurança Máxima – Foto: Arquivo/Correio do Estado

Leandro Barbosa Pereira, 23 anos, que ocupava cela da penitenciária de Segurança Máxima de Campo Grande, foi encontrado morto por volta das 6h desta terça-feira. Antes de morrer, ele comentou ter feito parte da facção Primeiro Comando da Capital (PCC) e que por não ter cumprido missão estava jurado de morte.

De acordo com Boletim de Ocorrência, Leandro havia sido transferido do presídio de Nova Andradina para o estabelecimento penal da Capital, ontem. Ao chegar, o preso comentou com oficial responsável pelo plantão que integrou o PCC e que não havia cumprido missão, por isso estava prometido de morte.

Menos de 24 horas depois da declaração, Leandro foi achado morto na cela que ocupava no pavilhão 3 da Máxima. Por volta das 6h de hoje, presos gritaram e bateram em grades ao ver Leandro morto. O rapaz estava pendurado pelo pescoço em lençol, amarrado na grade de ventilação do banheiro e tinha escoriações pelo corpo.

Leandro respondia a processo na Justiça como autor de tráfico de drogas. Em julho do ano passado, ele havia sobrevivido a seis tiros de pistola 9 milímetros, em tentativa de assassinato. Na época, autoridades policiais citaram que o rapaz era integrante do PCC e cogitaram a possibilidade de o atentado estar relacionado a acerto de contas do tráfico. Inquérito como morte a esclarecer foi aberto para investigar o caso.

Colunas

Contraponto