Produção in vitro de embriões bovinos representa alternativa para produtor de MS

As diferentes estratégias usadas para incrementar a produção in vitro de embriões (PIVE) nos rebanhos bovinos do estado é o tema da palestra que será ministrada por Fabiana Melo Sterza, professora da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) no II Simpósio Repronutri – Reprodução, Produção e Nutrição de Bovinos: a pesquisa aplicada ao […]

Comentar
Compartilhar
16 set 2016 Por Redação 10h23
laboratorio_foto-de-claudio-bezerra

Foto: Claudio Bezerra

As diferentes estratégias usadas para incrementar a produção in vitro de embriões (PIVE) nos rebanhos bovinos do estado é o tema da palestra que será ministrada por Fabiana Melo Sterza, professora da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) no II Simpósio Repronutri – Reprodução, Produção e Nutrição de Bovinos: a pesquisa aplicada ao campo. O evento é uma organização da Embrapa Pantanal, Embrapa Gado de Corte, Grupo Repronutri, Universidades Estadual e Federal de Mato Grosso do Sul (UEMS e UFMS), Universidade Anhanguera-UNIDERP e Universidade Católica Dom Bosco (UCDB).

“Vamos pensar na produção in vitro como um todo, abordar os gargalos e discutir soluções”, diz Fabiana. “O bezerro nascido a partir da PIVE é melhor porque o pai e a mãe são superiores geneticamente. A velocidade de ganho por aumento da produtividade é bem maior”, afirma. Para a pesquisadora e médica veterinária, há algum tempo as técnicas de PIVE eram utilizadas basicamente por produtores que possuíam animais puros de origem. “Hoje, nós já temos a inclusão de algumas técnicas em que ovários de frigoríficos são utilizados na produção de embriões, com sêmen de altíssima qualidade para a produção de bezerros de corte – tudo isso aliado, ainda, ao uso do sêmen sexado. Conseguimos, assim, aumentar muito o valor genético do animal”.

Segundo informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o Brasil é considerado atualmente o maior produtor de embriões bovinos in vitro do mundo, produzindo cerca de 320 mil unidades por ano – o que representa 50% do mercado mundial. De acordo com Fabiana, aproximadamente dez mil embriões in vitro foram produzidos no estado em 2015. “Nós temos tecnologias muito bem executadas no país e temos no estado um dos maiores rebanhos bovinos do Brasil. Aliando esses dois aspectos, podemos aprimorar a carga genética desses animais. Consequentemente, conseguimos melhorar a produtividade do nosso rebanho. Isso tem um impacto econômico muito importante”, diz.

Ainda segundo o MAPA, além das exportações realizadas para países como Moçambique, Costa Rica e Etiópia, o Brasil foi autorizado no segundo semestre deste ano a vender embriões bovinos produzidos in vitro também para o Paraguai. “Nós temos no país mais de 40 laboratórios. Só em Mato Grosso do Sul existem cinco que trabalham com a produção in vitro de embriões”, ressalta a pesquisadora. Fabiana afirma que os produtores interessados em trabalhar com a técnica devem tomar alguns cuidados para assegurar a eficácia do processo. “Ele tem que se preocupar em fazer o controle zootécnico, identificar quais são os animais que merecem ter sua genética multiplicada e ter a assistência de uma equipe veterinária”, finaliza.

A palestra de Fabiana e as de vários outros pesquisadores, médicos veterinários, produtores rurais e técnicos serão ministradas durante o II Simpósio Repronutri, na capital do estado. Para mais informações, acesse o endereço http://www.fundapam.com.br/repronutri. (As informações são da Ascom Embrapa Pantanal).

Serviço

II Simpósio Repronutri – Reprodução, Produção e Nutrição de Bovinos: a pesquisa aplicada ao campo

Local: Hotel Deville – Av. Mato Grosso, 4250 – Carandá Bosque/ Campo Grande – MS

Data: de 22 a 23 de setembro

Horário: das 08h às 18h

Inscrições: www.fundapam.com.br/repronutri
Programação: dia 22/09

08h00 – 09h00: Entrega de material e abertura

09h10 – 10h00: Cenário atual e perspectivas da pecuária no MS – Luciano Chiocheta/ Presidente IAGRO

10h10 – 11h00: Estratégias para melhorar a eficiência reprodutiva em rebanhos de corte – Pietro S. Baruselli/ USP

11h20 – 13h20: Almoço

13h30 – 14h20: Melhora de resultados de IATF quando o assunto é sêmen – Juliana Correa Borges Silva/ Embrapa

14h20 – 15h10: Projeto + CRIA e estratégias para produção de bezerros superiores – Ériklis Nogueira/ Embrapa

15h10 – 15h30: Coffee break

15h30 – 16h20: Novo programa novilho Precoce no MS e estratégias de produção – Rodrigo Gomes/ Embrapa

16h20 – 17h10: Espaço colaboradores

17h20 – 18h00: Mesa redonda

Dia 23/09

08h00 – 08h50: Nutrição x reprodução em bovinos de leite – Ricarda Maria dos Santos/ UFU

08h50 – 09h40: Estratégias para incremento da produção de embriões em MS – Fabiana A. Melo Sterza/ UEMS

09h40 – 10h00: Coffee break

10h00 – 10h50: Produção e congelamento de embriões – o que temos de novo? – Gisele Zoccal Mingoti/ UNESP Araçatuba

10h50 – 11h20: Mesa redonda

11h20 – 13h20: Almoço

13h00 – 13h50: Uso de touros melhoradores / Usando as informações da genética para aumentar a produtividade em gado de corte? – José Bento S. Ferraz/ USP

13h50 – 14h40: Manejo sanitário de bovinos – Iveraldo Dutra/ UNESP Araçatuba

14h40 – 15h00: Coffee break

15h00 – 16h15: Dados locais de campo (duração de 20 minutos cada):

. Criação de Brangus no Pantanal – José Lemos Monteiro (Zé Ito)
. Sistema de produção de gado de corte com integração ILPF – José Albino Zacarin/ Fazenda Santa Verginia
. IATF em larga escala associada a programas de melhoramento – Marcus Vinicius Back Ferreira/ Fazenda Sunsas

16h15 – 17h10: Espaço colaboradores

17h10 – 18h00: Mesa redonda

18h00: Encerramento

https://www.youtube.com/embed/0XKWEpfeHF0

Leia Também

Colunas

Contraponto