Professor mapeia área ribeirinha por GPS e dados vão auxiliar Marinha e Bombeiros em resgates no Pantanal

O professor Jefferson Esdra criou um endereço para cada morador, mapeou as casas via GPS e colocou placas informativas nas trilhas da comunidade do Corixão, no Taquari. Corumbá (MS)- A iniciativa de um professor da Escola Municipal Rural polo Sebastião Rolon extensão Boa Esperança, localizada na comunidade do Corixão no Taquari, Pantanal de Corumbá, está facilitando […]

Comentar
Compartilhar
14 out 2016 Por Erik Silva 8h15

O professor Jefferson Esdra criou um endereço para cada morador, mapeou as casas via GPS e colocou placas informativas nas trilhas da comunidade do Corixão, no Taquari.

dsc_0962

Professor trabalha na região com alunos do ensino fundamental e teve a ideia para facilitar o acesso de serviços básicos especialmente nos resgates realizados pela Marinha e Corpo de Bombeiros na comunidade / Foto: Erik Silva

Corumbá (MS)- A iniciativa de um professor da Escola Municipal Rural polo Sebastião Rolon extensão Boa Esperança, localizada na comunidade do Corixão no Taquari, Pantanal de Corumbá, está facilitando o acesso à região ribeirinha  localizada a cerca de 86 quilômetros da região urbana da cidade. Aliando a tecnologia com materiais simples encontrados na própria comunidade, o ingresso de instituições, empresas e principalmente o auxílio de saúde prestado por órgãos públicos e militares aos moradores locais, passa a ser mais rápido e preciso.

Acompanhado pelos alunos que abraçaram a ideia e o apoio dos moradores, Jefferson teve a ideia de tirar o lugar do desconhecido e literalmente colocar a existência da comunidade no mapa. “Por ser uma comunidade de difícil acesso pretendemos facilitar o acesso de terceiros, tanto via hidrovia, terrestre ou aéreo. Isso porque em muitas vezes quando os moradores da comunidade precisam de algum órgão, como Marinha e Bombeiros para resgatar principalmente nas horas mais difíceis, como doenças, picada de cobras entre outros, sempre o resgate é mais demorado devido à dificuldade de localização do respectivo morador. Nesse intuito, decidimos criar mapas desde Corumbá até nossa comunidade, implantando na rota, placas nos portos e nas estradas, identificando os pontos de referência com facilidade de compreensão a todos os usuários, moradores ou não da região do Corixão”, disse o professor ao Folha MS.

8

Cada um dos 52 moradores da comunidade foram cadastrados e receberam uma carteira de identificação com dados sobre localização / Foto: Arquivo Pessoal

Professor e alunos realizaram juntos com a comunidade, onde moram aproximadamente 18 famílias, cerca de 52 pessoas, um levantamento sobre pontos que poderiam servir de referência para denominar as diversas trilhas e acessos ao local. “O desafio era criar uma identidade dos pontos de referência, de forma estrutural e padrão, de fácil entendimento a todos”, afirmou o professor dizendo que os moradores conheciam os locais por codinomes muito variáveis “cada um usava algo diferente como referência e isso dificulta a localização exata especialmente quando é necessário fornecer um ponto de contato com um resgate médico”, reforçou.

dsc_0964

Trabalho vai participar do projeto Professor Inovador

Jefferson lembra de que já houve casos em que a aeronave da Marinha enviada para resgate de pessoas adoentadas na comunidade, foi vista pelos moradores, mas que do alto não era possível identificar o ponto exato para pouso. “A maneira que encontrávamos para criar uma referência era produzir fumaça ou usar panos para tentar sinalizar o local exato”, lembra.

Tecnologia

Com um aparelho de GPS emprestado pela Defesa Civil de Corumbá, todos os moradores foram cadastrados e tiveram as informações repassadas em uma espécie de carteirinha de identificação ribeirinha, também criada para facilitar a identificação de cada membro da comunidade, contendo Nome, RG, CPF, Número do Cartão SUS e a localização exata. O equipamento possibilitou demarcar com exatidão os dados geográficos como Latitude e longitude de cada casa e ainda dos pontos de uso comum e acessos a outras regiões. Dessa forma, quando alguém necessitar de um atendimento médico por exemplo, basta passar a localização anotada nessa carteirinha que as equipes de resgate aéreo saberão precisamente onde deverão pousar”, contou.

Localização de cada família e pontos de referências foram inseridos em mapa por satélite

Localização de cada família e pontos de referências foram inseridos em mapa por satélite

Jefferson reforça que a atividade elaboradas e desempenhadas pelos alunos desenvolvem conceitos geográficos e históricos do lugar onde vivem, a fim de colocar a comunidade mais visível perante sociedade em geral.

Sinalização

placas

Além das coordenadas por GPS, comunidade recebeu placas de sinalização para orientar visitantes que acessem o local pelo rio e via terrestre

O projeto ainda realizou a sinalização das trilhas existentes na comunidade com placas confeccionadas pelos alunos utilizando pedaços de madeira e tinta. “Fizemos um mapa para facilitar quem acessa a comunidade desde a saída no Porto Geral de Corumbá até lá colocamos à disposição de quem chegar, além disso qualquer pessoa que tiver acesso à internet poderá visualizar este mapa também através do Google Earth onde as casas de cada morador foram identificada e mapeada”, conclui.

Entrega dos dados

No final desta semana, os alunos receberam um incentivo e reconhecimento pelo trabalho feito. Com o trabalho concluído, a coleta dos dados bem como o mapeamento e as informações referente a localização de toda comunidade foram entregues ao esquadrão HU-4 no comando do 6º Distrito Naval em Ladário.

Responsáveis pela realização de resgates envolvendo aeronaves no Pantanal, os militares agradeceram o empenho de cada um dos alunos envolvidos no projeto e ressaltaram a importância do ato para agilizar os procedimentos de salvar vidas no Pantanal.

O projeto faz parte da Rota do Saber e está concorrendo na modalidade professor inovador.

Alunos entregaram as informações sobre a localização foi entregue ao Esquadrão HU-4 da Marinha do Brasil em visita ao comando do 6º DN em Ladário

Alunos entregaram as informações sobre a localização foi entregue ao Esquadrão HU-4 da Marinha do Brasil em visita ao comando do 6º DN em Ladário

 

 

https://www.youtube.com/embed/0XKWEpfeHF0

Leia Também

Colunas

Contraponto