Protestos anti-Trump têm pelo menos 15 presos nos EUA

De Nova York a Los Angeles, manifestações reuniram milhares contra presidente eleito

Comentar
Compartilhar
10 nov 2016 Por G1 9h29
usa-election_protests-ggr30abcm-1

Manifestantes protestam após a eleição de Donald Trump para a Presidência dos EUA (Foto: Noah Berger / Reuters)

WASHINGTON — Milhares de manifestantes foram às ruas em diversas cidades dos Estados Unidos nesta quarta-feira para protestar contra a eleição de Donald Trump. De Nova York a Los Angeles, os protestos foram pacíficos na maior parte do país. Em Washington, centenas de manifestantes se reuniram diante da Casa Branca para realizar uma vigília criticando o que qualificaram de racismo, sexismo e xenofobia da retórica de Trump. E pelo menos 15 pessoas acabaram detidas em um protesto na frente da Trump Tower, o majestoso edifício do magnata em Manhattan. Em uma votação surpreendente de terça-feira, que contrariou previsões das pesquisas dos dias anteriores, o republicano saiu vitorioso ao superar os 270 delegados necessários para conquistar a chefia da Casa Branca.

Os cartazes diziam “Temos uma voz” e “Educação para todos”. Em Seattle, um tiroteio próximo a um protesto deixou ao menos cinco feridos. A polícia local investiga o caso, que não teria relação com a manifestação contra Trump.

Em Chicago, milhares de pessoas marcharam pelo Loop e se reuniram em frente ao edifício Trump Tower, gritando “Não é meu presidente”. A polícia da cidade chegou a interditar ruas na área, impedindo o caminho dos manifestantes. Não houve relatos de prisões ou momentos de violência.

— Estou realmente aterrorizada com o que está acontecendo neste país — disse Adriana Rizzo, de 22 anos, segurando um cartaz que dizia: “Aproveite seus direitos enquanto puder”.

Estudantes em Berkeley, na Califórnia (Foto: Elijah Nouvelage / Reuters)

Uma manifestação em Manhattan reuniu cerca de mil pessoas em frente à Trump Tower, na Quinta Avenida. A polícia instalou também barricadas para manter os manifestantes afastados do local. Segundo o Departamento de Polícia, 15 pessoas foram detidas na manifestação da noite de quarta-feira, que reuniu um expressivo número de latinos para protestar contra a retórica anti-imigração de Trump.

Centenas de estudantes do ensino médio e universitários também saíram em protesto em Berkeley, Phoenix, Los Angeles e Oakland, Richmond e El Cerrito, na Califórnia. Em Austin, capital do Texas, cerca de 400 pessoas marcharam pelas ruas, disse a polícia.

Na Califórnia, jovens protestam contra resultado das eleições que tiveram vitória republicana (Foto: Noah Berguer/ Reuters)

Protestos tiveram objetos queimados em clima de tensão que se espalhou pelos EUA (Foto: Noah Berger/Reuters)

Um representante da campanha Trump não respondeu imediatamente aos pedidos de comentários sobre os protestos. Em seu discurso de vitória, Trump disse que ele seria o presidente de todos os americanos, dizendo: “É hora de nos reunirmos como um povo unido”

https://www.youtube.com/embed/0XKWEpfeHF0

Colunas

Contraponto