Salário de R$ 32 mil pago à funcionária da Câmara vai ser investigado pelo MPE

Corumbá (MS)- O Diário Oficial do Ministério Público Estadual, trouxe em sua edição eletrônica desta quarta-feira (5), a informação sobre a conversão de procedimento preparatório para inquérito civil,  sobre casos já denunciados em reportagens do Folha MS, em supostas irregularidades no pagamento de servidores da Câmara Municipal de Corumbá, “sobretudo o caso da servidora comissionada que […]

Comentar
Compartilhar
05 out 2016 Por Erik Silva 11h30

inqueritoCorumbá (MS)- O Diário Oficial do Ministério Público Estadual, trouxe em sua edição eletrônica desta quarta-feira (5), a informação sobre a conversão de procedimento preparatório para inquérito civil,  sobre casos já denunciados em reportagens do Folha MS, em supostas irregularidades no pagamento de servidores da Câmara Municipal de Corumbá, “sobretudo o caso da servidora comissionada que teria recebido a título de vencimentos em único mês a importância de R$ 32.000”. A investigação está a cargo da Promotoria de defesa do Patrimônio Público e Social.

Relembre o caso

O fato ressaltado pela ação do Ministério Público Estadual, se refere ao caso de uma servidora comissionada que chegou a receber em seus vencimentos registrado no Portal da Transparência no mês março de 2015, o recebimento de R$ 32 mil reais, como pagamento pelos serviços prestados no cargo de Diretora Financeira. A reportagem abordou ainda com estranheza, o fato de alguns salários terem sofrido aumento superior a 100%, logo após o atual presidente do Poder legislativo, vereador Tadeu Vieira, aprovar entre seus primeiros atos na função, a criação de novos cargos que ficariam à disposição da Mesa Diretora que ele preside e ainda, a autorização para suplementar o já elevado salário de servidores comissionados, em até 150%.

A aprovação da lei complementar possibilitou que servidores como o caso denunciado na reportagem, saltassem de um salário que até dezembro de 2014 era de R$ 8 mil reais, para R$ 16 mil reais já em 2015, além da possibilidade de receberem os benefícios e gratificações incorporados nas férias, levando ao pagamento de salários de até R$ 32 mil.

salario dezem 2014

Até dezembro de 2014 salário de servidora era de R$ 8 mil reais

Até dezembro de 2014 salário de servidora era de R$ 8 mil reais e foi suplementado em 100%

 

diretor financeiro 32 mil

Em março de 2015 servidora recebeu R$ 32 mil reais / Portal da Transparência

Em Março deste ano, um novo caso voltou a chamar a atenção pelo alto valor pago a um servidor, desta vez efetivo no cargo de contador, que recebeu mais de R$ 45 mil reais como pagamento de férias.

O inquérito civil nº018/2016 encontra à disposição na Rua América, 1880 – Centro – Prédio do Ministério Público Estadual, em Corumbá/MS.

 

 

https://www.youtube.com/embed/0XKWEpfeHF0

Leia Também

Colunas

Contraponto