Técnico e cansativo, percurso do Mountain Bike é desafio até para os mais experientes

Ao todo o MTB vai reunir 500 ciclistas de várias partes do Brasil

Comentar
Compartilhar
24 nov 2016 Por Ascom PMC 11h12
Prova acontece no domingo, com largada às 7h, no Porto Geral (Foto: Marcos Boaventura)

Prova acontece no domingo, com largada às 7h, no Porto Geral (Foto: Marcos Boaventura)

Reconhecida como uma das provas mais difíceis do País, o percurso do Mountain Bike será ainda mais desafiador nesta edição do Pantanal Extremo. Para os competidores da categoria Pro (elite), são 102 quilômetros de muitas subidas, descidas, terra, lama, asfalto e até água.

“É o trajeto mais difícil de todas as quatro edições do Pantanal Extremo”, afirmou o presidente da Federação de Ciclismo de Mato Grosso do Sul (FMSC), Carlos César Gimenes. Vinte competidores estão inscritos na elite. Os favoritos são Gesiel Nunes e Mario Oliveira, ambos de Goiânia, além dos bolivianos David Almanza e Alejandro Salazar.

A previsão é que os primeiros colocados cruzem a linha de chegada 4 horas após a largada. A altimetria total da corrida é de 2.30 metros. Já na categoria Sport, o percurso é menor. Ainda assim, os 65 quilômetros da prova vão exigir muita técnica e força dos competidores. “Para a maioria dos corredores, só cruzar a linha de chegada já é uma vitória”, explicou Carlos Gimenes.

Ao todo o MTB vai reunir 500 ciclistas de várias partes do Brasil. Todo o percurso será realizado com apoio do Exército, da Marinha, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), da Polícia Rodoviária Estadual de Mato Grosso do Sul (PRE/MS), pela Agência Municipal de Trânsito e Transporte (Agetrat) e pela Guarda Municipal de Corumbá.

Colunas

Contraponto