Tiroteio que teve 2 mortos e 3 feridos foi praticado por irmãos, diz testemunha

Episódio aconteceu na noite de ontem, no Bairro Guanandi

Comentar
Compartilhar
07 nov 2016 Por Correio do Estado 9h30
local-homicidio-rua-cora-valdenir-rezende-41

Grupo de amigos estava reunido na frente de casa quando tiroteio começou – Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado

Dois irmãos são suspeitos de serem autores do tiroteio que aconteceu na noite de ontem, na Rua Cora, no Bairro Guanandi, em Campo Grande. Na ocasião, duas pessoas foram mortas, outras duas feridas a tiros, e a quinta vítima agredida com coronhadas na cabeça.

A informação de que o crime teria sido cometido pelos irmãos, de 19 e 21 anos, é de testemunha. Apesar de eles terem sido identificados, a motivação do crime por enquanto não foi esclarecida. Ambos seguem foragidos.

Na polícia, o suspeito de 19 anos tem ficha por dirigir sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH). O outro por porte ilegal de arma, perturbação do sossego e constrangimento ilegal.

O CASO

Os irmãos balearam o grupo de amigos, que estava sentado na esquina de uma casa, depois de perguntarem por rapaz que tem apelido de ”igrejinha”. O suposto alvo não estava no endereço e, ainda assim, por motivo ainda desconhecido, os autores fizeram vários disparos.

Cada um dos irmãos indicados como autores portava revólver calibre 38 e, balearam, simultaneamente, quatro pessoas. Adolescente, de 13 anos, foi agredido com coronhada na cabeça. Na fuga, a dupla teria contado com auxílio de comparsa que aguardava perto do local, dentro de automóvel.

MORTOS

Chegaram a ser socorridos, no entanto não resistiram aos ferimentos Alex Duarte Ferreira, de 17 anos, e Mykael Vinicius Godoy Rolon, de 22 anos. Outros dois baleados, de 22 e17 anos, foram submetidos à cirurgia e seguem internados, na Santa Casa.

As vítimas, exceto os adolescentes de 13 e 16 anos – que são irmãos, têm passagens pela polícia pelos mais variados tipos de crimes, conforme a assessoria de comunicação do setor da segurança pública.

mykael-divulgacao

Mykael chegou a ser socorrido, mas não resistiu (Foto: Divulgação)

Colunas

Contraponto