Vítima quase é estrangulada, mas consegue escapar de sequestro

Estudante de enfermagem, de 21 anos, procurou a polícia dizendo ser vítima de um sequestro relâmpago na noite desta sexta-feira (23). A garota contou que saía da faculdade, na Avenida Gury Marques, na Chácara das Mansões, em Campo Grande, quando foi abordada por um homem que anunciou o sequestro. Feliccia Silva de Dezborowski contou ao […]

Comentar
Compartilhar
24 set 2016 Por Campo Grande News 16h33
300x225-beee92932b81269ecaa4648119b931f3

Seliccia Silva de Dezborowski contou ao Campo Grande News como foi o sequestro. (Foto: Alcides Neto)

Estudante de enfermagem, de 21 anos, procurou a polícia dizendo ser vítima de um sequestro relâmpago na noite desta sexta-feira (23). A garota contou que saía da faculdade, na Avenida Gury Marques, na Chácara das Mansões, em Campo Grande, quando foi abordada por um homem que anunciou o sequestro.

Feliccia Silva de Dezborowski contou ao Campo Grande News que estava entrando no carro estacionado na avenida, em frente a universidade, quando foi abordada por um homem que disse que estava armado. Ele a obrigou a entrar no carro dela, e segundo a jovem, dentro do veículo a enforcou até que desmaiasse.

Carro da vítima foi encontrado abandonado no bairro Monte Sião. (Foto: Alcides Neto)

Carro da vítima foi encontrado abandonado no bairro Monte Sião. (Foto: Alcides Neto)

A moça disse que não sabe ao certo quando tempo ficou desacordada, e que quando finalmente despertou, foi estrangulada novamente pelo bandido.

Após ficar adormecida pela segunda vez, a jovem disse que acordou quando o criminoso parou o carro e foi até o porta-malas. Neste momento, ela conseguiu sair do veículo e correr.

Segundo Seliccia, nesse momento o criminoso entrou no veículo e fugiu, levando também o celular dela e R$ 300 em dinheiro.

A garota conta que pediu ajuda em uma residência e ligou para o pai ir buscá-la. “Perto da faculdade acontece muito assalto, no semestre passado eu já tinha ido na coordenação reclamar, uma viatura ficou dois dias lá por perto, mas depois foi embora. Não acho que fiquei traumatizada, mas com certeza vou mudar de hábitos”, disse.

Por volta das 5h da manhã de hoje (24), a polícia encontrou o carro da moça, um Gol Geração 4, no bairro Monte Sião. O veículo estava abandonado. Celular e dinheiro dela não foram localizados. Ainda não há informações sobre o suspeito de ter cometido o crime. O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Piratininga.

Outros casos – Há cerca de duas semanas, uma estudante de 22 anos diz ter sido sequestrada quando saía de uma casa noturna, em Campo Grande. Ela contou que se livrou dos sequestradores mordendo um deles, além de ter o carro totalmente queimado.

O caso está sob investigação. Ao Campo Grande News, a vítima diz suspeitar de um colega de faculdade e que sua bebida, na ocasião, pode ter sido ‘batizada’.

Na manhã seguinte ao crime, o veículo foi encontrado pela polícia, completamente queimado, na Rua Água Azul, próximo à Uniderp Agrárias, no bairro Taquaral Bosque, mas nenhum suspeito foi preso.

Outro caso, ocorreu há dez dias. A vítima, estudante de 17 anos, afirmou ter sido raptada por um casal, pela manhã, nas proximidades do Terminal Morenão.

A garota foi encontrada pela família após, segundo a versão da menina, ter sido liberada pelos sequestradores. Ela teria ficado três horas em cárcere privado, duas delas passadas presas dentro de um carro no bairro Zé Pereira – região oeste de Campo Grande. O caso também está sob investigação.

Colunas

Contraponto